Abel Manta

Abel Manta

Foi residir para Lisboa em 1904 e inscreveu-se em 1908 na Escola de Belas Artes de Lisboa, onde cursou Pintura. Concluiu o curso em 1915, tendo ganho o 3.º Prémio da Sociedade Nacional de Belas Artes no ano seguinte.

Estabeleceu-se em Paris de 1919 a 1925, tendo aproveitado para viajar pela Europa, visitando sobretudo a Itália, onde se interessou pelos frescos renascentistas. Na capital francesa expôs, em 1921 e 1923, no salão La Nationale, e frequentou o curso de gravura da Casa Schulemberger.

Regressado a Portugal, realizou em Lisboa uma exposição individual na Galeria Bobone, tornando-se no ano seguinte professor de Artes Decorativas no Ensino Técnico, e professor da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa em 1934. 

Participou na decoração de alguns pavilhões de Portugal em exposições internacionais, em 1929 na Exposição de Sevilha, em 1931 e 1937 nas Exposições de Paris.

Obteve o prémio Silva Porto do S.N.I. em 1942 e, em 1949, a primeira medalha da SNBA em Pintura.

Pintou os retratos de Aquilino Ribeiro, Paiva Couceiro, Bento de Jesus Caraça, entre outros, quadros que se caracterizam pela densidade expressiva. 

Em 1965 a SNBA realizou uma exposição retrospectiva da obra de Abel Manta.

Em 1979 foi condecorado com uma comenda da Ordem de Santiago da Espada, tendo morrido em Lisboa em 1982.

Casou-se em 1927 com a pintora Clementina Carneiro de Moura, tendo havido um filho do matrimónio.

Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta

É um museu de arte de Gouveia, Portugal com acervo da obra de Abel Manta. Foi inaugurado em Fevereiro de 1985, num edifício setecentista. Entre os quadros mais conhecidos encontram-se muitos retratos (de João da Silva, Aquilino Ribeiro, Luís Teixeira, Roque Gameiro, Paiva Couceiro), auto-retratos em diversas fases da sua vida, muitas paisagens de lugares portugueses que frequentou ("Vistas de Gouveia", "Praça Luís de Camões", "Lisboa e o Tejo", "Sé do Funchal", "Ponte de Barcelos", "Barcos da Nazaré", "Pinheiros de Colares", "Vista de Viseu") e obras emblemáticas como "o Fumador de Cachimbo", "Partida de Damas" e "o Violinista".