31 DE JANEIRO DE 1891

pedro-botto-machado-01

PEDRO AMARAL BOTTO MACHADO NO ADVENTO DA REPÚBLICA

Assinalam-se hoje os 123 anos da revolta republicana do Porto, acontecimento que haveria de ser o prelúdio fundamental da instauração da República em Portugal. Figura de relevo e um dos mais activos protagonistas naquele acontecimento: o ilustre e benemérito gouveense Pedro Amaral Botto Machado.

"Assentou praça, como voluntário, no regimento de infantaria 14, em Setembro de 1886. Em 1891, sendo 2.º sargento de infantaria 18, foi um dos mais activos elementos da revolta de 31 de Janeiro no Porto, pelo que respondeu em conselho de guerra, no tribunal de Leixões, sendo condenado a três anos de degredo em possessão de 1.ª classe, cumprindo a pena em Luanda e Benguela.

Em Novembro de 1910 foi reintegrado no exercito, com o posto de Tenente e, em 10 de Maio de 1913, foi nomeado governador da província de S. Tomé, cargo que ocupou, com honestidade, até 12 de Março de 1918, esforçando-se sempre por dotar a colónia de indispensáveis melhoramentos.

Foi um dos devotados propagandistas que percorreram o pais em defesa da eleição para as constituintes, das quais fez parte, como deputado, eleito por Pinhel".

A sua acção em Gouveia é, ainda hoje, parte da nossa memória colectiva que urge preservar, divulgar e enaltecer como exemplo para actual e das futuras gerações.

Saiba mais sobre a Revolta de 31 de Janeiro em: Revolta de 31 de Janeiro de 1891 (Wikipédia)

Imprimir Email