ASSEMBLEIA APROVA ORÇAMENTO E PLANO

A Assembleia de Freguesia, reunida em 30 de Dezembro do ano que agora findou, aprovou as mais importantes medidas da gestão da Freguesia para o ano de 2016, como são o Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos, documentos previsionais que ascendem a 387 mil euros.

Na defesa da proposta do executivo, João Amaro começou por dizer "que não se vislumbra, para 2016, um panorama económico diferente, para melhor, do que tem sido nos últimos dois anos; ou seja, no que depende da nossa projecção de receitas e que podemos dar por garantidas, manter-se-ão os valores da receita corrente que têm vindo a ser arrecadados – e que correspondem a cerca de 1/3 do valor global do Orçamento da Receita -facto que não nos deixa grande margem de manobra para pensarmos em novos grandes investimentos".

Mesmo assim, segundo o Presidente da Junta, "na compita entre as “Receitas Correntes” e as “Despesas Correntes”, não deixa de ser assinalável uma poupança superior a 44 mil euros" facto que na sua perspectiva é mais uma prova "do rigor e da moderação que colocamos nos gastos da nossa actividade corrente".

Na apresentação daquelas propostas, o Presidente da Junta chamou ainda a atenção para o facto de que "o grosso do investimento – as Despesas de Capital – têm a ver, sobretudo, com duas acções cujo desfecho não depende tanto de nós, da nossa vontade ou capacidade, mas sim de factores de decisão de organismos com supervisão na matéria e que se prendem com duas candidaturas apresentadas ao PRODER/IFAP e que têm a ver com a execução da Rede Primária e de faixas de gestão combustível e da Estabilização de Emergência Pós-Incêndios (reflorestação) na área do Baldio de S. Pedro", iniciativas estas que, caso sejam aprovadas e financiadas a 100%, atingem um valor superior a 243 mil euros, portanto praticamente 2/3 do total da Receita.

Segundo João Amaro, "naquilo que depende da nossa capacidade de execução orçamental e que é nossa opção concretizar, continuamos a dar prioridade a políticas de proximidade e de qualidade de vida da nossa população, das crianças aos mais idosos, não esquecendo a nossa juventude.

É neste sentido que continuaremos a apoiar as nossas crianças do ensino pré-primário, a dar continuidade ao Programa de Ocupação de Tempos Livres dos nossos Jovens ou a proporcionar o convívio e o recreio da nossa terceira idade", ao mesmo tempo que - segundo o autarca da Freguesia - "se mantém a nossa preocupação em continuar a apoiar as escolas e a nossa comunidade associativa, seja de índole cultural, desportiva ou recreativa".

A manutenção das parcerias com o Município, traduzidas na delegação de competências por via da subscrição de Acordos de Execução, contratos interadministrativos ou contratos-programa, segundo o responsável pelo executivo da Freguesia, "permitirá continuar a assumir o aquecimento e limpeza do Jardim de Infância de Gouveia, a limpeza de caminhos rurais e suburbanos e a construção da 2ª Fase da remodelação e beneficiação do Edifício de S. Pedro".

Finalizando a sua intervenção, João Amaro disse que "com os recursos financeiros disponíveis, e sem falsa modéstia, pensamos que não era possível fazer mais ou optar por fazer diferente".

Na mesma reunião do plenário da Freguesia foram ainda aprovadas a Tabela de Taxas para 2016, e a proposta de autorização de aceitação de competências a delegar pela Câmara Municipal.


A Assembleia de Freguesia, reunida em 30 de Dezembro do ano que agora findou, aprovou as mais importantes medidas da gestão da Freguesia para o ano de 2016, como são o Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos, documentos previsionais que ascendem a 387 mil euros.

Na defesa da proposta do executivo, João Amaro começou por dizer "que não se vislumbra, para 2016, um panorama económico diferente, para melhor, do que tem sido nos últimos dois anos; ou seja, no que depende da nossa projecção de receitas e que podemos dar por garantidas, manter-se-ão os valores da receita corrente que têm vindo a ser arrecadados – e que correspondem a cerca de 1/3 do valor global do Orçamento da Receita -facto que não nos deixa grande margem de manobra para pensarmos em novos grandes investimentos".

Mesmo assim, segundo o Presidente da Junta, "na compita entre as “Receitas Correntes” e as “Despesas Correntes”, não deixa de ser assinalável uma poupança superior a 44 mil euros" facto que na sua perspectiva é mais uma prova "do rigor e da moderação que colocamos nos gastos da nossa actividade corrente".

Na apresentação daquelas propostas, o Presidente da Junta chamou ainda a atenção para o facto de que "o grosso do investimento – as Despesas de Capital – têm a ver, sobretudo, com duas acções cujo desfecho não depende tanto de nós, da nossa vontade ou capacidade, mas sim de factores de decisão de organismos com supervisão na matéria e que se prendem com duas candidaturas apresentadas ao PRODER/IFAP e que têm a ver com a execução da Rede Primária e de faixas de gestão combustível e da Estabilização de Emergência Pós-Incêndios (reflorestação) na área do Baldio de S. Pedro", iniciativas estas que, caso sejam aprovadas e financiadas a 100%, atingem um valor superior a 243 mil euros, portanto praticamente 2/3 do total da Receita.

Segundo João Amaro, "naquilo que depende da nossa capacidade de execução orçamental e que é nossa opção concretizar, continuamos a dar prioridade a políticas de proximidade e de qualidade de vida da nossa população, das crianças aos mais idosos, não esquecendo a nossa juventude.

É neste sentido que continuaremos a apoiar as nossas crianças do ensino pré-primário, a dar continuidade ao Programa de Ocupação de Tempos Livres dos nossos Jovens ou a proporcionar o convívio e o recreio da nossa terceira idade", ao mesmo tempo que - segundo o autarca da Freguesia - "se mantém a nossa preocupação em continuar a apoiar as escolas e a nossa comunidade associativa, seja de índole cultural, desportiva ou recreativa".

A manutenção das parcerias com o Município, traduzidas na delegação de competências por via da subscrição de Acordos de Execução, contratos interadministrativos ou contratos-programa, segundo o responsável pelo executivo da Freguesia, "permitirá continuar a assumir o aquecimento e limpeza do Jardim de Infância de Gouveia, a limpeza de caminhos rurais e suburbanos e a construção da 2ª Fase da remodelação e beneficiação do Edifício de S. Pedro".

Finalizando a sua intervenção, João Amaro disse que "com os recursos financeiros disponíveis, e sem falsa modéstia, pensamos que não era possível fazer mais ou optar por fazer diferente".

Na mesma reunião do plenário da Freguesia foram ainda aprovadas a Tabela de Taxas para 2016, e a proposta de autorização de aceitação de competências a delegar pela Câmara Municipal.

Tópicos: Orçamento, Plano Plurianual, Gouveia

Imprimir Email